Formação – Ação MELHOR TURISMO

/ Maio 2, 2017/ Formação/ 0 comments

Código: POCI-03-3560-FSE-000235
Objetivo: Reforçar a competitividade das pequenas e médias empresas do setor do turismo
Região de intervenção: Norte
Entidade promotora: Associação Empresarial de Felgueiras

Data de aprovação: 23-01-2017
Data de início: 22-04-2017
Data de conclusão: 29-09-2018

Custo total elegível:  157.120,05 EUR
Apoio financeiro da União Europeia – FSE:  108.935,99 EUR

O que é?

O projeto MELHOR TURISMO 2020 é um programa de formação-acção (formação e consultoria) desenvolvido pela NERSANT em parceria com a CTP – Confederação do Turismo Português.

Objetivos:

  • Aumentar a capacidade de gestão das empresas participantes;
  • Promover a reorganização, a inovação e a mudança;
  • Promover a qualificação dos seus recursos humanos em domínios relevantes.

Resultados pretendidos:

  • Modernizar os modelos de negócio, a organização e as práticas de gestão;
  • Diversificar a oferta e contribuir para a afirmação de Portugal como destino turístico de referência;
  • Referenciar Portugal como destino reconhecido pela qualidade e excelência dos seus serviços turísticos.

Modelo organizacional:

  • EIXO I – Ciclo de Planeamento
    Abordagem orientada para a qualificação das PME e dos seus trabalhadores em domínios de desenvolvimento de competências priorizados pelo exercício prévio de diagnóstico realizado em cada empresa;
  • EIXO III – Ciclo Temático
    Abordagem orientada para a qualificação das PME e dos seus trabalhadores em domínios de desenvolvimento de competências previamente identificados e que se alinham com as prioridades de desenvolvimento do sector

Metodologia de intervenção:

Ambas as tipologias estruturam-se a partir das mesmas quatro etapas, embora assumindo diferenças no modo de desenvolvimento:

  • DIAGNÓSTICO
    Situa os problemas que se colocam à estratégia de desenvolvimento da empresa consoante os seus objetivos estratégicos. Constitui a base orientadora do plano de ação, da formação e também da avaliação. É nesta fase que são definidos os domínios de intervenção, a abordar em cada PME
  • PLANO DE AÇÃO
    Estabelece o referencial estratégico do projeto formativo, definindo os problemas a resolver e os objetivos a atingir em termos de desenvolvimento de competências e de evolução organizativa e de performance da empresa;
  • FORMAÇÃO
    No caso do Eixo 1, a formação pode organizar-se de forma mais aberta, ou seja, considerando como instrumento de apoio referenciais de competências já existentes, mas acolhendo, também, o desenvolvimento de mapas de competências especificamente considerados para dar resposta aos problemas identificados. No caso do Eixo 3, o planeamento da formação apoia-se, essencialmente, em referenciais de competências já estabelecidos, sendo excecional o recurso ao desenvolvimento de referenciais próprios de cada projeto;
  • AVALIAÇÃO
    É transversal a todo o programa e dá resposta à necessidade de aferir o grau de realização dos projetos e o nível de resultados alcançados. Assim, o exercício de avaliação assumido ao nível dos projetos foca-se na verificação do grau de cumprimento do plano de ação, nomeadamente no que se refere à realização das atividades previstas e ao desenvolvimento das competências identificadas.

Mais valias do projeto:

  • Disponibilização de consultores seniores;
  • Realização de um Diagnóstico completo à empresa;
  • Definição do Plano de ação;
  • Implementação e Acompanhamento do Plano de ação;
  • Resolução de problemas concretos das empresas;
  • Formação de trabalhadores;
  • Avaliação de Resultados;
  • Projeto financiado.

Destinatários:

  • Empresas do turismo, integradas nas CAE 55, 56, 77, 79, 82, 91, 93 e 96, com menos de 50 trabalhadores;
  • Sem prejuízo desse n.º máximo, o Programa “Melhor Turismo 2020” considera as empresas até 10 trabalhadores e as empresas que têm entre 10 e 50 trabalhadores os seus principais grupos-alvo;
  • Podem participar empresas com mais de 50 trabalhadores em função da relevância do projeto e no caso de não terem um volume de negócios superior a 2 milhões de euros.

Critérios de elegibilidade:

  • Cumprir as condições necessárias para o exercício da atividade;
  • Dispor de contabilidade organizada;
  • Manter a situação tributária e contributiva regularizada;
  • Apresentar situação líquida positiva;
  • Não ser uma empresa em dificuldade;
  • Não ser uma empresa sujeita a uma injunção de recuperação, ainda pendente;
  • Não ter salários em atraso;
  • Não deter nem ter detido capital numa percentagem superior a 50%, por si ou pelo seu cônjuge, em empresa que não tenha cumprido notificação para devolução de apoios num âmbito de uma operação apoiada por fundos europeus;
  • Ser considerada Micro, Pequena ou Média Empresa – demonstrado através da Certificação PME (www.iapmei.pt).

Documentação e condições de candidatura:

  • Acordo de pré-adesão preenchido;
  • Declarações de ausência de dívidas ao Estado e Segurança Social, válidas à data de início do projeto;
  • IES do último ano;
  • Última Declaração de Remunerações (DRI), emitida da Segurança Social Direta;
  • Certificação PME atualizada (obtida em www.iapmei.pt);
  • Comprovativo do licenciamento da atividade;
  • Situação líquida positiva;
  • Contabilidade organizada;
  • Declaração da empresa;
  • Registo no Balcão 2020 (www.portugal2020.pt).

Mais informação:

Contacte-nos através do email formacao@aef.pt

 Co-Financiamento:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*